Área de Terra Total [1]
224,301 km² 65.7 % Floresta
Tendência do desmatamento
34.7 % 2017
Área Florestal Original
156,296 km²
Área florestal atual
147,293 km² 1.031 % do Total Global
Área Total Desmatada
9,003 km²
Carbono Florestal Total
1,472 M MtC 0.926 % do Total Global
Descrição

Roraima é um dos novos estados brasileiros criados a partir da Constituição de Federal de 1988. Possui área física de cerca de 225.000 km ² estabelecida no extremo norte da Amazônia brasileira. Faz fronteira internacional com a República Cooperativista da Guiana (antiga Guiana Inglesa) e a República Bolivariana da Venezuela, divisando ainda com os estados do Amazonas e Pará. Todo o Estado ocupa cerca de 2,6% do território brasileiro e 4,5% da Amazônia Legal.

O estado de Roraima apresenta basicamente uma composição vegetacional em que predominam, na parte sul, as florestas úmidas, representadas pelas unidades fitoecológicas: Floresta Ombrófila Densa, Floresta Ombrófila Aberta, Floresta Estacional e Floresta Ombrófila Aluvial, e, na parte central e norte-nordeste, as áreas de savanas em suas mais diversas feições.

As florestas são predominantemente do tipo pluvial ou ombrófila na parte sul e estacional na parte central e norte do estado. Apresentam um espectro que varia desde as florestas de terra firme até aquelas de planícies aluviais periodicamente alagadas. As matas aluviais estão restritas às várzeas dos principais cursos d'água, bem como a algumas áreas alagadas da região sudoeste, estas intercaladas com as feições de campinarana e de formações pioneiras.

As feições de savanas, que dominam a parte central e norte-nordeste do estado, apresentam-se nas formas arbórea, parque e graminosa. No extremo norte de Roraima observa-se a feição caracterizada como estépica, nas formas arbórea e parque. Atualmente, verifica-se um alto grau de antropismo nos ambientes dominados pelas savanas, representado principalmente pela ocupação com pastagens e lavouras, além de áreas alteradas abandonadas.

Além das unidades fitoecológicas representadas pelas diversas formas de Campinarana e de Formações Pioneiras, podem ser evidenciadas, no Estado de Roraima, áreas de tensão ecológica ou transição (contatos) entre as duas feições de floresta, entre as savanas e as florestas, entre a campinarana e as florestas e entre as formações pioneiras e as florestas.

Biodiversidade, águas e belezas cênicas exóticas, ricamente espalhados em ambientes variados e prontamente acessíveis, são importantes para o desenvolvimento social. Sua constituição étnico-cultural é singular, na medida em que mais de 50% do Estado é constituído por terras indígenas e o todo convive no mesmo espaço, embora encerrando diversos elementos culturais.

Sua exploração somente poderá ser viabilizada por meio da equação meio ambiente, sociedade e economia.

A Floresta de Roraima ainda representa o ponto vulnerável do desenvolvimento do jovem Estado. A exploração madeireira ilegal e a predominância de métodos de produção arcaicos, como a utilização do fogo, são realidades ainda vividas e prioritárias para a gestão ambiental atual.

Contatos
Representante
Flávia Alves
Special Adviser for Environmental Analysis, FEMARH
Representante
Rogerio Martins Campos
Director of Licensing & Management
Governador
Antônio Denarium
Demografia
População do Estado / Província [2]
522,633
População urbana versus rural [3]
Urbana 84.20 %
 
Rural 15.80 %
 
Grupos étnicos [4]
Multi-ethnic 68.80 %
 
White 20.00 %
 
Black 7.40 %
 
Indigenous 3.80 %
 
Economia
PIB estadual / provincial [5]
BRL 6,900,000,000
Renda anual per capita [6]
BRL 12,072
Índice de Desenvolvimento Humano [7]
0.707
Desagregação do PIB
Serviços 87.50 %
 
Indústria 8.70 %
 
Agricultura, silvicultura 3.80 %
 
Principais exportações
Madeira, couro
Status da floresta (1)
Tipos principais de vegetação [8]
Floresta 151,690 km²
 
Outros usos do solo 63,947 km²
 
Pastagem 4,890 km²
 
Vegetação Secundária 3,672 km²
 
Agricultura 15 km²
 
Gestão florestal [9]
Desprotegido 120,505 km²
 
Protegido 31,185 km²
 
Taxas de desmatamento
Drivers of Deforestation

O desmatamento em Roraima ocorre basicamente pelo uso alternativo do solo que corresponde ao processo de ocupação da terra e sua exploração económica através da agricultura e da pecuária.

A utilização da queima para limpeza de áreas muitas vezes culmina em acidentes florestais, quando o fogo foge do controle e atinge grandes extensões de vegetação.

A exploração madeireira também é fator relevante a ser considerado como causa de desmatamento. A pesar da maior parte estar licenciada, ainda verifica-se o corte ilegal de madeira em áreas mais afastadas, inclusive em áreas indígenas.

Notes
(1) Devido a diferentes abordagens metodológicas e anos-base, os campos de dados do Status da Floresta podem diferir ligeiramente. As fontes de dados para cada campo estão listadas abaixo.
References
[1]
[2]
[3]
IBGE
[4]
IBGE
[5]
[6]
[7]
[8]
TerraClass 2014
[9]